Perguntas Frequentes


Perguntas e respostas

O que é inspeção veicular?

Inspeção dos itens de segurança de um veículo leve ou pesado, para avaliar as reais condições de rodagem.

Os programas de inspeção veicular oficiais são normatizados pelo Contran, ABNT e Conama para segurança e emissão de gases.

Qual o objetivo da inspeção veicular?
  • Manutenção preventiva nos veículos, para regulamentar a frota circulante no país;
  • Garantir maior segurança por menor índice de acidentes;
  • Diminuição dos gases poluentes para o meio ambiente, visando melhor qualidade do ar e qualidade de vida da população.
O que veremos no seu veículo?
  • Sistema de freios;
  • Sistema de direção;
  • Articulações (folgas);
  • Amortecedor de Direção;
  • Eixos e Sistema de Suspensão;
  • Pneus e Rodas;
  • Faróis e Sistema de Iluminação (lanternas, faixas reflexivas) – (Quando Aplicável);
  • Parte elétrica;
  • Itens de Segurança (extintor, limpador de para-brisa, cinto de segurança, bancos, estepe e outros);
  • Tacógrafo (Quando Aplicável);
  • Fumaça preta no cano de escape (emissão de gases poluentes);
  • Documentação do Veículo atualizada (nota fiscal do serviço quanto tiver modificação ou alteração de característica);
  • Autorização do Detran (Quando Aplicável);
  • Estado geral de Conservação do veículo;
Quais as condições de inspeção exigidas nas normas do Inmetro e Denatran?

Para realização da inspeção, o veículo deve apresentar as seguintes condições

  • Estar com sua massa em ordem de marcha (livre de carga);
  • Estar limpo;
  • Estar com os pneus calibrados conforme pressão especificada pelo fabricante (caso não esteja, a equipe técnica fará o ajuste da pressão);
  • Possuir instaladas no veículo, suas Placas de Licença Dianteira e/ou Traseira, quando aplicável (*);
  • Estar abastecido (combustível original), com no mínimo 90% da capacidade total;
  • Nos casos dos veículos com GNV, o(s) cilindro(s) deve estar abastecido com pressão mínima de 180 bar;
  • Nos casos de veículos destinados ao transporte de produtos perigosos, estar com a verificação metrológica do cronotacógrafo vigente, quando aplicável;
  • Nos casos de veículos destinados ao transporte de produtos perigosos, estar com o equipamento (tanque) descontaminado por  descontaminador  registrado  pelo  INMETRO,  exceto para  os  equipamentos  que  transportam  produtos  perigosos  regulamentados  pelos  RTQ  1i,  RTQ  3i, RTQ  6i,  RTQ  CAR  (exceto tanque silo) e  para  os  tanques  de  carga  sob  pressão  /  vácuo  (exemplo: limpa-fossas)”;
  • A inspeção de veículos e equipamentos destinados ao transporte de produtos perigosos não deve ser realizada se:
    • Não forem apresentados os documentos necessários mencionados neste procedimento;
    • O equipamento não possuir  rastreabilidade.

IMPORTANTE

1) Caso uma, ou mais condições supra relacionadas, não seja(m) atendida, a inspeção não poderá ser iniciada (*). O cliente deverá providenciar a preparação das amostras (limpeza, abastecimento, retirada de carga) e retornar para nova inspeção de recebimento. A equipe deve realizar nova inspeção de recebimento para assegurar a condição ideal de inspeção.

2) Fica estabelecido que os dados recebidos e gerados nesta inspeção serão tratados de forma confidencial, sendo disponibilizados apenas à equipe do organismo (e equipe de assessoria e auditoria interna), CGCRE, DETRAN, DENATRAN, CREA e UGC (Unidades de Gestão Central). Qualquer outra parte interessada nestas informações só terá acesso mediante autorização formal do Contratante e da Contratada, ou através de ordem judicial.

Qual a documentação necessária para inspeção?

Exigem Autorização Prévia (1):

  • CSV Normal – Ex.: Retirada/ Inclusão GNV, Alteração de características, Inclusão Sistema Segurança de C. Basculante, Transformação de Veículos, etc.
  • CSV Sinistrado;
  • CSV Veículo Artesanal – Exige autorização prévia  (deve ser selecionado na abertura da OS a opção “Veículo sem emplacamento” e para esses serão solicitadas novas informações obrigatórias). Os dados de identificação do veículo devem estar conforme Res. CONTRAN 699/2017;

Não Exigem Autorização Prévia (2):

  • GNV Periódico;
  • CSV ANTT (2);
  • Veículo Protótipo (relacionado a processos de CCT e CAT) sendo que o OIA/ ITL deve  proceder conforme Ofício Circular nº 59/ 2017/ CGIT/ DENATRAN/ SE;
  • CSV Periódico/ Anual de Verificação  Dispositivo de Segurança para Carroçarias Basculante (2).

 (1) “AUTORIZAÇÃO PRÉVIA” referenciada é a contemplada no Art. 98 do CTB, obtida pelo proprietário do veículo junto ao órgão de Trânsito onde registrado o veículo a que se destina a inspeção.

Art. 98 do CTB. Nenhum proprietário ou responsável poderá, sem prévia autorização da autoridade competente, fazer ou ordenar que sejam feitas no veículo modificações de suas características de fábrica.

Parágrafo único. Os veículos e motores novos ou usados que sofrerem alterações ou conversões são obrigados a atender aos mesmos limites e exigências de emissão de poluentes e ruído previstos pelos órgãos ambientais competentes e pelo CONTRAN, cabendo à entidade executora das modificações e ao proprietário do veículo a responsabilidade pelo cumprimento das exigências.

(2)  Inspeções não vinculadas à emissão do Certificado de Inspeção do Inmetro – CI.

Qual o tempo de execução dos serviços?
  • O tempo médio de inspeção é de 3 horas
  • O tempo varia de acordo com o tipo de veículo, inspeção, e quantidade de veículos que estão sendo inspecionados.
Quais as principais não conformidades?
  • Sistema de freios;
  • Sistema de direção;
  • Articulações;
  • Amortecedor de Direção;
  • Eixos e Sistema de Suspensão;
  • Pneus e Rodas;
  • Faróis e Sistema de Iluminação (lanternas, refletivos e faixas) (Quando Aplicável).
Como proceder se o veículo for reprovado?
  • Caso seu veículo seja reprovado, você terá um prazo máximo de 30 dias para retornar com as não conformidades resolvidas para nova inspeção gratuita;
  • Caso o prazo seja ultrapassado, um novo processo de inspeção deverá ser iniciado, sendo cobrado uma nova (inspeção) taxa de prestação de serviço.