Novidades

Caminhão envolvido em acidente que matou família não tinha equipamento obrigatório




O equipamento de segurança para proteger o tanque, onde estava o combustível transportado, é obrigatório para os veículos fabricados desde 2011

 

O caminhão envolvido em acidente entre Lagoa do Piauí e Demerval Lobão, que matou três pessoas da mesma família, não tinha equipamento obrigatório de segurança. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o equipamento de segurança para proteger o tanque, onde estava o combustível transportado, é obrigatório para os veículos fabricados desde 2011.

Em veículos de grande porte, o armazenamento do combustível é externo, como no caso de caminhões e carretas. Em alguns veículos, o reservatório é protegido por barras de contenção lateral, que evita com o impacto o combustível possa vazar e provocar acidente.

Desde 2011, o dispositivo de segurança é obrigatório. Por lei, caminhões, reboques, semi-reboques e veículos com peso igual ou superior a 3.500 mil quilos precisam do equipamento. Sem ele não é possível registrar e licenciar o veículo junto ao Departamento de Trânsito (Detran).

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou que fiscaliza o uso das barras de proteção. Um dos veículos envolvidos no acidente era de 2014 e mesmo assim não utilizava o equipamento, que poderia ter evitado a tragédia.

“O caminhão poderia ter este dispositivo protegendo o tanque, o que no momento da colisão o veículo viesse a chocar com o tanque. Não poderia evitar o acidente, mas o agravamento dele”, explicou o superintendente da PRF-PI.

José Ribamar trabalha como caminhoneiro há mais de 20 anos e não dispensa o uso do dispositivo de segurança. “É um equipamento bem feito, mas nem todo mundo usa. Era obrigatório o caminhão sair de fábrica com o protetor”, declarou.

Fonte: G1 Piauí.



Voltar